segunda-feira, 25 de maio de 2009

A chuva



Olho para a folha em branco e logo penso em criar algo novo.
Um poema, uma música, uma crônica, um verso, um soneto, uma carta...
Mas fecho os olhos e escuto o barulhinho da chuva batendo na janela.
Fecho o caderno, deixo a caneta de lado, vou até ela.
Lá fora a chuva cai sem pressa, molha os passantes desprevenidos, alegra os casais apaixonados e rouba a atenção dos mais românticos...

Chuva, sempre tão cheia de histórias.
Sempre trazendo lembranças.

Lembranças da infância, da adolescência, da juventude...
Lembranças daquele banho de chuva.
Lembranças de uma dívida a pagar.
Lembranças das brincadeiras nas poças d'água na volta da escola.
Lembranças do beijo molhado com o namoradinho do colégio.
Lembranças daquele filme antigo.
Lembranças daquele brigadeiro que sempre acompanhava o filme antigo.

Ah, chuva, tão simples e tão cheia de encantos.
Poderia passar a vida a descrever-te em verso, prosa ou poesia...
Mas prefiro passar a vida a admirá-la e a relembrar dos momentos que me proporcionastes.


Airtiane Rufino


3 comentários:

Rafael Ayala disse...

Eu sou um dos loucos apaixonados por chuva, tanto para admirar quanto para tomar um bbanho de chuva.

Toda vida que chove penso em tanta coisa já passada, um turbilhão de memórias.

Sempre um prazer ler teus textos, e sobre a chuva então, não faltando o ótimo companheiro brigadeiro (deu uma vontade de comer brigadeiro ó...)

bjoos
e vou aparecer então!
eheheheheh
=]

leandro disse...

Airtiane... qual o seu email? me manda... o meu é martinsumum@hotmail.com --
sou aluno do curso de gestao informacao na UFPE e participei de uma palestra com vc aqui no dia 06/06/2009... beijos.

Professor Jonathas Carvalho disse...

Olá Airtiane. Parabéns pelo Blog. Que você possa continuar desenvolvendo e registrando suas idéias.

Quando puder dá uma passadinha no meu Blog. professorjonathascarvalho.blogspot.com

Beijos.