quinta-feira, 2 de abril de 2009

Como um eclipse



Depois de um longo dia de trabalho, sem muitas aspirações para aquela noite, ela segue seu caminho, faz o mesmo trajeto de todos os dias. Só que naquela noite ela estava sozinha.
Seguiu, pensando no dia que passara e na noite que já havia chegado.
Estava tão distraída que não notou que estava sendo observada.
Em um súbito reflexo, os olhos dela se encontraram com os olhos daquele que a observava.
Ela sentiu algo muito bom. Aqueles olhos lhe eram familiar, a paz que eles lhe trazia também.
Quando os olhos dela cruzaram com os dele, as estrelas perderam seu brilho tamanha foi a emoção que emanou de seus olhos.
Ela, parecia a Lua, tamanho era o seu brilho e sua beleza.
Ele, parecia o Sol, tamanho era seu encanto e sua força.
Os olhares não se largaram.
O Sol não resistiu ao brilho nem a beleza da Lua.
A Lua não resistiu ao encanto do Sol.
Se abraçaram fortemente, sentiram o calor e o perfume um do outro.
A Lua brilhava cada vez mais.
O Sol ficava ainda mais encantador.
Seus corpos ali, juntos, não queriam se largar.
A Lua suspirava com o cheiro dele.
O Sol se embebedava com o perfume dela.
Mas o momento estava chegando ao fim.
A Lua precisava ir, o Sol precisava ficar.
Se olharam mais uma vez.
Se abraçaram novamente.
A Lua foi embora sentindo o cheiro de seu amado.
O Sol ficou, acompanhando sua amada partir.
Eles se deixaram desejando um novo eclipse.

Airtiane Rufino


Foto: Airtiane Rufino

4 comentários:

*Vanessa disse...

Ai que bonitíssimo....tenho uma conhecida que se visse ía colocar no perfil do orkut dela...ela chama o namorado de Sol e ele chama ela de Lua..uahuhaeuaeh

Volteeeeeeeei! Vou lar mais \o/
bjoo

L&L-Arte de pensar e expressar disse...

GOSTEI DE SEU BLOG PARABENS QUANDO DER VISITE O MEU WWW.PALAVRASARTEBLABLABLA.BLOGSPOT.COM

Rafaela, Aquela que Deus curou disse...

Lindo o seu poema, sobre Lua e Sol, eu também já me arrisquei com o tema:

“...Já tão cansada ela vê
É ele que se aproxima
Vem sorrateiro, pungente
Como sempre é
Cheio de si, de orgulho
Dono do mundo
Vem de mansinho fazendo carinho
Esquentando o ar
Ela sente o calor
Porque é assim todo amor
Quente, senão não vale a dor de esperar
E ele se aproxima
Sabe que não pode tocá-la
Mas sabe contemplá-la
Pois o encanto pode acabar
Trocam apenas olhares
O calor de suas brasas
Roça a frieza da bela
E ela sai, vai embora
Como sempre fez
Até o outro dia
Quando mais uma vez
Ela vai lhe esperar
Bonita e prateada
No céu a brilhar
A linda lua a espera do seu amado sol
Em qual eclipse irão se encontrar?"

AI, ainda bem que eclipse só acontece de milhares em milhares de anos né?

Rafaela, Aquela que Deus curou disse...

AI, é cometa que passa de milhares em milhares de anos, né? Eu confundi com eclipse mas tu entendeu o que eu quis dizer né? São os cometas que me deixam assim meio doida, rsrsrs