quinta-feira, 19 de março de 2009

Acordar pra quê?

Não sou muito de escrever crônicas, até escrevo mas não costumo publicá-las, não sei o porquê, acho que não é meu forte, na verdade, nem sei qual é meu forte.
Mas essa eu escrevi ontem, quarta-feira, foi fluindo e quando vi, tava assim, pronta, ou melhor, quase pronta, ainda não tinha nome.
Foi quando olhei pela janela, vi a chuva caindo novamente e lembrei de uma crônica que eu li uma vez, falava da chuva também.
Ai, resolvi fazer uma homenagem ao grande cronista que a escreveu.

Rafa, essa é pra ti...

Bjão ;D


Hoje o dia começou cedo, acordei com aquele barulho insuportável do despertador, não importa a música que ele toque, sempre vai ser insuportável pois interrompe um dos momentos mais sublimes do ser.
Acordei cedo, não por vontade, preferia ter ficado um pouco mais na companhia do travesseiro, ele tava tão quentinho. A cama, essa então, tava daquele jeito, cheia de mãos que me puxavam e me impediam de levantar.
Lá fora, a chuva caía sem medo, sem timidez, suas gotas tilintavam na janela como a mais linda das melodias.
Aquele som suave de chuva trouxe a imagem do sonho que mais parecia um filme, também interrompido pelo despertador.
Os sonhos deviam mesmo ser como os filmes, não só no quesito história, mas deveria ter um menu ou algo do tipo. Assim, quando os sonhos fossem ruins seria possível pará-los, e, quando fossem bons seria possível voltar, pausar, continuar e até colocar trilha sonora.
Ah, cama quentinha, travesseiro quentinho, sonho bom, chuvinha na janela...

- Acordar pra quê?

É, mas o despertador tocou, avisando que o dever me chama e que mesmo que a cama e o travesseiro estejam quentinhos, o sonho esteja bom e a chuva esteja convidando para não sair da cama, o despertador avisa que é hora de levantar.
Vamos lá, à noite eu volto, espero que o cenário seja o mesmo e que eu possa clicar no ícone para continuar.
A trilha sonora, essa eu não vou esperar até a noite para ouvir, essa eu levo comigo, onde eu for.

Airtiane Rufino

3 comentários:

*Vanessa disse...

Por coincidência acabei de ser a crônica do "rafa" e foi uma ótima e agradável surpresa ler a sua. Tão bom achar gente que escreve bem!
=D

*Vanessa disse...

ooi,
pois é, faço sim, mas to quase acabando...hehehe
eu tava procurando blogs e depois de milhares de coisas miguxinhas e fúteis(até me divirto, mas cansa as vezes...hehehe) e me deparei com o blog de vcs...hehe
bjo

Rafael Ayala disse...

poxa... sem nem o que dizer ó, fiquei comovido mesmo...
mas eu nem sei o que dizer mas eu tenho que dizer hehehehehe
gostei demais do texto, tem dias que eu acordo assim também, tendo que afastas as mãoes que vêm da cama, é o jeito.
tem horas que me pergunto também - Acordar pra quê? se está tão bom ali, bem quentinho...
e tu devia era colocar mais e mais crônicas, nada de deixar guardada!
ontem eu tomei banho de chuva, de novo, havia tomado no domingo já, e pelo visto essa época a chuva vai dominar os meus textos heehehehhe
e eu adoro teus comentários, me fazem um bem danado! =D

eu sempre me empolgo nos comentários também, vou falando, falando, e tu sabe como eu enrolo né? hehehehehe

pois pode publicar as crônicas viu?
oura mais!
gostei demais, da crônica e da homenagem, de tudo =D

posso colocar um link do teu blog lá no meu?
e eu nem sou um grande cronista, tenho só um e setenta eu acho =p auhahuahuhuaahuh
brigadão pelo grande =D

qq coisa estamos por aqui
bjo grande!!
=]